Nunca Será Suficiente

Posted: 19 de dez de 2011 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , , ,
0

Pensamos e relatamos tantos desejos libertários,
Que ao fim do dia, reparamos o quando não realizamos.
Adormecemos em nossos calabouços solitários,
Pois nem toda atividade é suficiente quanto precisamos.

Procuramos em muitos espaços, um lugar para ser livre,
Mesmo reconhecendo que as grades são mais pessoais.
Sempre esperando que o resto do mundo nos prive,
Não é suficiente o mundo inteiro, queremos sempre mais!

Tentamos procurar uma razão em meio à realidade,
Mesmo tendo certeza que a natureza é caos essencial.
Usamos máscaras sobre máscaras sob nossa insanidade,
Mas nem toda racionalidade foi suficientemente ou racional.

Agimos seguindo o impulso de nossos corpos insólitos,
Desrespeitamos outros corpos e outras mentes ao redor.
Tentamos remediar a doença infectando mais acólitos,
E nunca é suficiente reintegrar o que decompomos em pó.

Escravizamo-nos por própria alternativa de comodismo,
Seguindo o vasto caminho da sociedade alienada consumista.
Subornamo-nos com falsos presentes de doce pessimismo,
Mas nenhum trabalho é suficiente para realizar a livre conquista.

Agimos seguindo lindas livres ideias, ideais e perspectivas,
E invariavelmente somos cotejados a alienadores fanáticos.
Mesmo reforçando nossa crença em mais liberdades ativas,
Nunca é suficiente mostrar razão terrena a seres lunáticos!

Ajustamos a meta de cometer cada anseio de prazer,
Jamais jugulando outro ser a nossa vontade hedonista.
E mesmo que venham os insultos, o melhor a fazer,
É nunca pensar ser suficiente a próxima última conquista.

Agimos tentando libertar e causar menos danos ao planeta,
Mas sempre decodificam invejosamente a ambição libertária.
Reconhecem, cometem crimes e querem que ainda se cometa!
Não é suficiente mudar a comida e vestir uma camisa identitária.

Mesmo em liberdade solitária, temos nos unido em resistência,
Com o único objetivo: de sermos mais livres e mais ativos.
Por mais que achemos nossas práticas inofensivas e sem consistência,
São essas pequenas celeridades que nos torna vivos!
Cativos à ideia de libertária insuficiência!

Buscamos uma evolução, mas sempre desejando a infância,
Negando-nos a reconhecer a real pureza de nossos entes.
Mas a inocência sempre nos cativa e remete a ignorância,
Ter muita idade não é suficiente para sermos mais coerentes.

Tantas vidas passam por nossas vidas sem tocarmos,
Que ao fim de nossa vida não sabemos quem nos tocou.
Criamos crisálidas para impedir de nos machucarmos,
Mas não foi suficiente nosso ar para estar vivo quando você se sufocou.

Mesmo em liberdade solitária, temos nos unido em resistência,
Com o único objetivo: de sermos mais livres e mais ativos.
Por mais que achemos nossas práticas inofensivas e sem consistência,
São essas pequenas celeridades que nos torna vivos!
Cativos à ideia de libertária insuficiência!

0 coments: