Marcha No Jardim Do Tempo

Posted: 25 de out de 2013 by Lux Alt in Marcadores: , , , , , ,
0

Marchando pelo jardim das secas incertezas,
Pisou nas flores murchas de antigas paixões.
Por sede, bebeu na fonte amarga das tristezas,
Arrependeu-se de ter outorgado concessões.

Marchando pelo jardim das floridas vinganças,
As pétalas voaram para tão longe da memória.
Por fome, devorou os botões das esperanças,
Logo o arrependimento arraigou-se na história.

Marchando rumo ao fim sem nenhuma glória,
O pólen da sorte passou sem fecundar esperanças.
Sem vitórias ou derrotas, sem dores e sem lembranças!

0 coments: